terça-feira, 10 de maio de 2016

MARANHÃO RETROCEDE E CANCELA DECISÃO SOBRE IMPEACHMENT

Mais um capítulo vergonhoso nessa história da contemporaneidade da história brasileira. No momento em que jornais e meios de comunicações em geral alimentam páginas e páginas de escândalos, corrupção, roubo, mentiras e todo tipo de situações degradantes para a nação brasileira, um deputado que assume interinamente a Câmara dos Deputados toma uma decisão de cancelar a votação do impeachment na segunda-feira e desfaz o que fez em menos de 24 horas.
Aqui não entra a discussão do mérito do que estaria correto, se dizer sim ou dizer não, mas, a falta de consistência nas decisões e falta de força para resistir às pressões que, independente do lado, sempre virão. Enquanto isso fica o vice-Presidente organizando seu governo na certeza de que tudo foi organizado e que não dará errado o seu plano de assumir a direção do país, a presidenta, perdida, tenta se sustentar no frágil discurso de inocência e o povo... Bem, o povo, para o país!
O dia de paralisação nacional reflete diretamente em nossas vidas e escolas, transportes coletivos, serviços essenciais, param. E enquanto para uns é momento de luta, para a grande maioria é apenas mais um dia de folga e para aproveitar e descansar.
Nesta quarta-feira o Senado vota o afastamento da Presidente e a tudo indica que não haverá outra decisão que não a saída do planalto de Dilma Roussef. Por outro lado, Maranhão, Presidente interino da Câmara, também passa a ser alvo de pedidos de afastamento.