terça-feira, 14 de junho de 2016

1ª PARCELA DO 13º AMEAÇADA NO ESTADO

O pagamento do 13º salário dos servidores estaduais pode estar em risco de não ser pago. A crise econômica frustra as receitas estaduais de modo que não há como garantir que este pagamento seja realizado como previsto. O desequilíbrio financeiro do estado causa consequências terríveis no orçamento dos servidores estaduais que são obrigados a convier com um futuro de incertezas pela ausência do calendário de pagamento.
Em 2015, o Governo do Estado conseguiu pagar antecipadamente em 19 de junho a primeira parcela do 13º salário aos servidores estaduais. O montante equivale a 40% do benefício para o funcionalismo. O feito notório se deveu em grande parte aos saques do Fundo Previdenciário Estadual. Agora que estes recursos minguaram junto com o futuro da previdência dos servidores nada leva a crer que esta antecipação seja paga diante do cenário econômico apresentado pelo governo.

A antecipação do 13º injetou em junho do ano passado R$ 411.937.771,00 na economia do Rio Grande do Norte num momento em que o país e o Estado atravessam uma grave crise econômica. Os dados são da Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças (SEPLAN). Ao todo, 102.984 servidores da ativa, aposentados e pensionistas, da Administração Direta e Indireta, recebem o adiantamento.

Os servidores estaduais esperam que o Governo Robinson Faria cumpra o seu compromisso de valorizar os servidores estaduais com o pagamento antecipado da primeira parcela do 13º salário. O desenvolvimento do nosso Estado passa, antes de tudo, pela valorização do funcionalismo.