quinta-feira, 8 de setembro de 2016

O MUNDO PERDE O SORRISO CONTAGIANTE DE UM GRANDE HOMEM

O Maestro demonstrou um respeito enorme
pelo nosso trabalho e isso nos orgulha pois
sabemos que ele conhecia a imprensa do
mundo inteiro, e seu elogio mostra que
nosso trabalho vale a pena.
O dia 08 de setembro de 2016 ficará marcado na história de todos que conheceram o Maestro Jurandir Florentino. São-pedrense de nascimento, saiu de nossa cidade aos 11 anos de idade e galgou grandes conquistas em sua vida. Faleceu aos 86 anos, vítima de um AVC Hemorrágico que o acometeu no dia dos pais e que o deixou no hospital até o dia de hoje quando passou para a morada eterna.
Jurandir Florentino era Maestro reformado dos Fuzileiros Navais, tocou para o Presidente Jucelino Kubitschek, para a rainha da Inglaterra, foi primeiro Maestro da Banda da Marinha de Natal, foi Músico Clarinetista e Maestro da Banda de Fuzileiros Navais da Sinfônica da Marinha do Rio de Janeiro.
Em nossa cidade sua presença ficou marcada pelas vezes que visitou a banda Filarmônica, da qual é o patrono, que leva o seu nome e que tem à frente o Maestro Júnior. Abriu oportunidades para que nossos jovens conhecessem o lado mais bonito da música e elogiou matérias do nosso Blog com palavras de incentivos ao seu editor.
Pelo pouco que o conheci tenho certeza de que foi um exemplo de vencedor a ser seguido e merecedor de todas as honras e homenagens que recebeu em vida e que receberá pós-morte. A sua presença encantava em palavras e ações, era um incentivador, motivador, uma pessoa que veio à terra para mostrar como se faz acontecer e que não deixava passar a oportunidade de demonstrar sua humildade. Que seu exemplo seja seguido por muitos que ainda não alcançaram a plenitude de sua carreira e que também ainda não aprenderam a grandeza de sua personalidade.
Deixa saudades e a tristeza de saber que nunca mais sua voz será ouvida e que não mais poderemos usufruir de sua presença, mas, fica a certeza de que sabia o tamanho de seu talento e a importância de seus ensinamentos.