domingo, 18 de outubro de 2015

A POLÍTICA NO BRASIL E A PREOCUPAÇÃO COM O POVO

Vivemos um intenso, e cada vez mais, tempo de disputa pelo poder. Uma mídia, em sua maioria, dominada pelos grandes interessados e que possuem a maior parte da nossa riqueza, grande parte de forma que não se tem uma explicação clara de como foi adquirida.
Após as eleições de 2014 a disputa só aumentou e se multiplicaram as acusações e o uso do povo para que eles próprios pudessem se favorecerem. O que se viu foi um verdadeiro cerco ao governo com a pseudo preocupação com os direitos dos cidadãos, reportagens mentirosas, movimentos fracassados sem a participação, em nenhum momento, sequer de cinco por cento da população brasileira e nós, os que estamos na parte de baixo engolimos muitas informações que pareciam verdadeiras, mas que só atendiam os interesses de quem estava disputando o bolo do poder e do dinheiro.
Com a disputa o Governo começou conceder. Foi distribuindo Ministérios e recursos para que a oposição gananciosa diminuísse os ataques. Surgiram os grandes defensores da Pátria, entre ele, Eduardo Cunha, que hoje aparece como mais um dos possíveis (não se pode afirmar mesmo diante das evidências), corruptos deste país.
Aí vem a mídia e coloca a culpa no povo que teve que escolher entre o ruim e o pior. Que não tinha opção e que vai pagar o pato sempre. Esse povo que, cheio de esperança, ou ignorância, vai pras ruas defender o interesse de político A ou político B, vivendo no mesmo cabresto do passado, ou que vai dar razão à mídia e aos corruptos e sair por aí destruindo prédios, saqueando, incendiando e permanecendo na miséria.
Um dia, para manter o povo na rédea, vão escolher um ou outro político, menos maléfico, e culpar. Vão crucificá-lo e mandá-lo para a "cadeia" e o povo, de pé, vai aplaudir que foi feita a justiça e, os grandes lobos, estarão lá se enriquecendo, disputando todo o nosso dinheiro e nós estaremos aqui manipulados... A política no Brasil está sempre voltada para os interesses dos corruptos e a preocupação com o povo é apenas a de manter no cabresto. O que não é difícil porque na hora que apertar nós mesmos entraremos em conflitos, nos mataremos enquanto eles assistem de camarim e dividem o bolo.