sexta-feira, 31 de outubro de 2014

HENRIQUE LIDERA REBELIÃO EM BRASÍLIA E PLANALTO TENTA CONTER AS FERAS

Henrique será recebido por Dilma que vai tentar "acalmar
a fera".
Após manter discurso de que não haveria ressentimento e de que iria procurar o diálogo, o Deputado Federal Henrique Alves não demorou muito colocar as manguinhas de fora e abrir uma guerra contra a presidência da República.
A própria presidenta Dilma, em férias, já ligou e pediu calma ao Deputado que também teve uma reunião com o ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil). Este lhe pediu para não colocar em pauta que onerem o Governo. No entanto, Henrique mantém como objetivo esquentar a pauta que conta com temas como:
- O Orçamento Impositivo (menina dos olhos do deputado) - PEC que obriga a execução de 1,2% da receita corrente liquida da União em emendas individuais dos parlamentares;
- O aumento de 1 ponto percentual do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), aumentando de 23,5% para 24,5%;
- Invalidez: Garante proventos integrais ao servidor que se aposentar por invalidez;
- E o absurdo “aumento de salários para os parlamentares”. Esse, bem a cara do Deputado que costuma apresentar projetos que o favoreça.
Henrique não é o único culpado da rebelião em Brasília após as eleições, mas ele tocou fogo na base com a derrubada dos conselhos populares da presidente Dilma. O Planalto atribui o gesto ao resentimento de Henrique por ter perdido a eleição estadual.
Outros interesses se somam ao desgosto eleitoral: a briga por vagas no futuro ministério de Dilma, o interesse da oposição no enfraquecimento do governo e a disputa pela presidência da Câmara e também do Senado. São muitas coisas em jogo. A terra treme em Brasília. E o deputado Henrique Alves, sem mandato em 2015, aposta todas as suas fichas naquilo que lhe resta de poder.
Adaptado do Blog do Diógenes